20120725

Holy Moly!






Já passou imenso tempo desde que vos disse que andava em busca da base perfeita. Perfeita, pelo menos para a minha pele e para o tipo de utilização que pretendia, que era uma coisa rápida e fácil de aplicar todos os dias, com boa cobertura, mas leve e natural e amiguinha da minha pele medonha.
A escolha acabou por ser bastante mais fácil do que aquilo que pensei inicialmente.
Depois de alguma prospecção, decidi na altura focar-me nestas bases, com a intenção de testá-las, usando-as pelo menos durante um dia e não experimentando apenas na mão. Não consegui, obviamente, fazer isso com todas. Nem aqui vou deixar os pormenores daquilo que achei de cada uma delas para não me alongar demasiado neste tema.





Escolhi então a Teint Resist da Yves Saint Laurent, que já estou a usar há 3 meses e até agora só tenho maravilhas a dizer sobre ela. Sim, porque só com um uso continuado de um produto é que consigo realmente dizer de minha justiça. Até porque, como me explicou a santa da consultora da Perfumes & Co. que me aturou, a minha pele é do tipo reactivo - eu diria antes reaccionário! - e, como tal, a qualquer momento pode decidir incompatibilizar-se com um produto. Esta parte do teste foi (so far) concluída com sucesso!

Voltando um pouco atrás no tempo, o meu amor pela TR foi coisa que percebi logo que a experimentei. É leve, mas com uma boa cobertura para o dia-a-dia, ou seja, natural mas efectiva); é luminosa sem ser brilhante (não sou fanática do mate); fácil de aplicar; tem um cheirinho fresco, mas que não fica a martelar na cabeça o dia inteiro... Enfim! Um sem-número de coisas boas. Mas aquilo que me encantou quase tanto como ganhar o euromilhões (ok, aqui estou a exagerar...) foi, ao fim de quatro dias, ver que muitas das marcas que tinha na pele de borbulhas de outros tempos tinham desaparecido! DE-SA-PA-RE-CI-DO! HOLY MOLY!!!
Não estou a falar da cobertura da base, atenção. Falo de uma pele de cara lavada!
Não perguntem porquê.... não percebo nada de maquilhagem e, mesmo lendo todas as promessas que o marketing YSL faz desta base, não encontro nada que explique este milagre.

Resumindo: estou muito feliz com a minha escolha!
Quero ainda deixar duas notas finais. Em primeiro lugar, e como já referi, não pesco nada de maquilhagem, portanto este post é apenas a opinião de uma leiga na matéria que ainda por cima nem tem uma vasta experiência com outras bases para ter termo de comparação. Mas podem confiar, ok? :)
Finalmente, mas não menos importante do que escrevi antes, quero agradecer a paciência e a super-simpatia da Maria João do The Beauty Routine e da Cátia do LX State of Fashion, que me ajudaram com os seus preciosos conselhos. 

3 comentários:

Mary disse...

Deve ser fantástica! Eu adoro a some kind-a gorgeous da benefit, promete que não se nota que temos base e cumpre :)

The ground beneath my heels disse...

Já ouvi maravilhas sobre essa base, por acaso... ;)

Raquel Pereira Painço disse...

Parece ter tido realmente um efeito fantástico se fez desaparecer as marcas :O